Se Liga

Um mal chamado rotatividade

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Um mal chamado rotatividade

Falta respeito, sobra lucro: ao demitir bancários com maiores salários e admitir funcionários ganhando menos, Santander traz prejuízos para muita gente.

Turnover é a alta rotatividade de funcionários em uma empresa, ou seja, um empregado é admitido e outro desligado de maneira sucessiva”. Essa é a definição do Sebrae para algo que acontece frequentemente no Santander. Interessante é que especialistas do setor consideram a troca de trabalhador prejudicial para as empresas. Porém, o banco espanhol usa e abusa deste recurso para aumentar sua lucratividade (que foi de R$9,953 bilhões em 2017). Demite os de salários mais altos, contrata pagando menos.

 

# Santander obriga a viajar e pagar Festa em Mongaguá!

 

Quem perde com isso? Todo mundo. O funcionário dispensado, que foi despedido sem justificativa mesmo sendo eficiente; o bancário que permanece no posto, mas trabalha com a sensação de que é o próximo da lista; o cliente que não tem vínculo nenhum com o banco, porque cada hora é um que o atende.

 

# Curta o Sindicato no Facebook

 

A onda maléfica da rotatividade atinge até mesmo a própria empresa. E os números confirmam. No primeiro trimestre de 2018, o Santander foi o segundo banco com maior número de reclamações consideradas procedentes pelo Banco Central, segundo ranking elaborado pelo órgão, no segmento de instituições com mais de 4 milhões de clientes. A insatisfação com o atendimento prestado é um dos motivos mais citados entre as queixas.

 

# Campanha Salarial defenderá manutenção dos direitos e defesa dos empregos

 

Mas, ao que parece, o Santander não se importa com isso. Seu objetivo por aqui é lucrar a qualquer preço, algo que não faz em seu país de origem. O Santander não demite trabalhadores na Espanha, mas demite no Brasil, que é o responsável pelo maior lucro da instituição no mundo.

 

# Movimento Sindical envia proposta de pré-acordo ao Santander

 

Números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) confirmam que os bancos ganham rebaixando salários. Enquanto os bancários desligados, entre os meses de janeiro e março, tinham remuneração média de R$ 6.615, os bancários admitidos recebem, em média, R$4.054.

 

É por isso que defendemos o fim das demissões, o respeito aos empregos, a perspectiva de estabilidade profissional e a possibilidade de ascensão nas carreiras. Promover demissões no momento em que o drama do desemprego afeta 13 milhões de pessoas, enquanto o banco atinge o maior lucro de sua história, é uma brutal injustiça e falta de respeito com o Brasil.

 

>> Cadastre-se no whatsapp do Sindicato: clique aqui (pelo celular) e informe banco onde trabalha e seu nome.

Fonte: AFUBESP
Postado por Fabiano Couto em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!