Retrocesso

Trabalhadores intermitentes vivem na incerteza e precarização

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Trabalhadores intermitentes vivem na incerteza e precarização

Quase 1 em cada 6 vagas de emprego criadas entre novembro de 2017 e agosto deste ano foi na modalidade de contrato intermitente

Modelo atual de precarização das relações de trabalho, o ‘trabalho intermitente’ surgiu como possibilidade de contratação com a “reforma” trabalhista, em novembro de 2017. No período entre a entrada em vigor da “reforma” até agosto deste ano, quase 1 em cada 6 vagas de emprego criadas foi para a modalidade de contrato intermitente. Ou seja, são pessoas usadas para “mascarar” as estatísticas enquanto vivem na incerteza de quanto vão receber (e se vão receber) no final de cada mês.

 

No contrato intermitente, o trabalhador presta serviços em períodos alternados e é remunerado de maneira proporcional, somente pelo período trabalhado. Os riscos dessa forma de emprego têm sido contestados na justiça. No Supremo Tribunal Federal (STF) há cinco ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs) que contestam a modalidade.

 

Em uma das ações, o argumento é que não é garantido que o trabalhador esporádico vai receber o salário mínimo nem o equivalente ao recebido pelo funcionário regular da empresa. Por isso, a contratação seria uma forma de empregar força de trabalho por um custo menor para realizar o mesmo trabalho dos demais.

 

A mesma ação aborda também a necessidade de o trabalhador pagar a diferença, ao INSS, se receber menos de um salário mínimo; o correspondente a 8% entre o salário recebido e o salário mínimo. Se o trabalhador não faz a complementação da contribuição, o mês trabalhado não entra no cálculo da aposentadoria.

Fonte Imprensa Seeb Santos e Região com G1
Postado por Comunicação SEEB Santos e Região em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!