Esteticista tentava desbloquear um cartão

Itaú é acusado de racismo

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Twitter
Itaú é acusado de racismo

Esteticista, negra, foi ao banco para sacar dinheiro e desbloquear um cartão, mas acabou levada para a delegacia. Banco diz que postura é “padrão” em suspeitas de fraude

A esteticista Lorena Vieira, companheira do DJ Rennan da Penha, acusa o banco Itaú de racismo quando ela tentava desbloquear um cartão, em uma agência no Rio de Janeiro. A mulher, que é negra, chegou a ser levada para a delegacia após o banco acionar a polícia. O Itaú diz que essa postura é “padrão em casos de suspeita de fraude”, mas não especificou a razão pela qual o perfil bancário de Lorena foi tratado como suspeito. “Não é porque sou eu sou preta e humilde que eu sou criminosa!!!”, desabafou a mulher em seu twitter.

 

No mês passado, houve outro caso envolvendo questões raciais e o Itaú. O movimento sindical denunciou que em um processo seletivo para o programa de trainee do banco, uma das portas de entrada na empresa, foram 72 mil pessoas inscritas. Milhares negras e pardas mas, estranhamente, nenhuma foi classificada para a final.

 

No caso da esteticista, ela conta que foi ao banco sacar dinheiro e desbloquear um cartão. Ao tentar resolver a situação, ficou esperando e recebeu informações que “o banco pode achar que é fraude, que você é laranja”, segundo relato da mulher ao G1.  Algum tempo depois chegaram três policiais civis “falando para eu ir para a delegacia”, conta Lorena, que se sentiu tratada de forma preconceituosa.

 

Documento

Além de afirmar ser “procedimento padrão”, o Itaú ainda alegou que “era difícil identificá-la (Lorena) com o documento apresentado no caixa”. Na foto do RG a esteticista estava com os cabelos alisados e atualmente usa seu cabelo natural.

 

Um dos policiais chegou a afirmar , ainda segundo o relato de Lorena, que ela deveria fazer outra identidade. “Se é uma pessoa branca que tem o cabelo alisado e depois deixa encaracolar, ninguém faria isso".

 

Combater o racismo não se resume a propagandas com a participação negros e negras. É uma luta diária para mudanças de práticas, derrubada de preconceitos e criação de oportunidades reais e igualitárias.

 

Racismo: saiba como denunciar

Racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89 e deve sempre ser denunciado, mas muitas vezes não sabemos o que fazer diante de uma situação como essa, nem como denunciar, e o caso acaba passando batido.

 

Para começar, é preciso entender que a legislação define como crime a discriminação pela raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, prevendo punição de 1 a 5 anos de prisão e multa aos infratores.

 

A denúncia pode ser feita tanto pela internet, quanto em delegacias comuns e nas que prestam serviços direcionados a crimes raciais, como as Delegacias de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), que funcionam em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Fonte Com informações do G1, catraca Livre e Rede Brasil Atual
Postado por Comunicação SEEB Santos e Região em Notícias
Atualizado em: 31 de janeiro de 2020

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!