Assédio Moral

Afinal o que significa Assédio Moral no Trabalho?
É a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, de forma repetitiva, sistemática e prolongada durante a jornada de trabalho e na prática de suas funções. O assédio moral se dá comumente em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas em que a maioria das condutas são deliberadamente negativas, desumanas e aéticas de um ou mais chefias dirigidas a um ou mais subordinados(as), com a conseqüente e progressiva desestabilização da vítima com o ambiente de trabalho e clima organizacional, forçando-o a desistir do emprego.
 
Como se dá a Violência no Assédio Moral? 
A humilhação e violência moral envolve as relações sociais sob duas formas: verticais e horizontais. O fenômeno vertical trabalha de modo autoritário, os desmandos, a manipulação do medo, a competitividade, os programas de qualidade total, as condutas sexistas, raciais e machistas nas relações de trabalho, que reproduze, a velha cultura patriarcalista, assentada na visão deformada dos papéis femininos e masculinos na sociedade, reiterando o paradigma cultural da discriminação de raça, gênero e orientação sexual. O fenômeno horizontal está enraizado na pressão para produzir com qualidade e baixo custo, produzindo práticas que sustentam a chamada “cultura do contentamento”: individualismo, tolerância aos desmandos, ritualização da violência, os pactos do silêncio.
 
As formas de Assédio Moral
Algumas táticas e estratégias utilizadas pelo agressor e suas formas mais comuns:
• Ameaças constantes de demissão, desemprego e corte de cargos, turnos e funções; 
• Desvio e/ou acúmulo de funções ou sobrecarga de trabalho com sonegação e/ou ausência de informações e instrumentos de trabalho;
• Desvalorização de atividade profissional do trabalhador/trabalhadora;
• Discriminação por sexo, orientação sexual e raça no estabelecimento de : salários, promoção e oportunidades de aperfeiçoamento
As humilhações constantes acabam provocando vários problemas de saúde, tais como:
• Dificuldades emocionais, com irritação constante, falta de confiança, cansaço exagerado, diminuição da capacidade para enfrenta o estresse.
• Alterações no sono, dificuldades para dormir, pesadelos,interrupções do sono, insônia.
• Alterações na capacidade de se concentrar e memorizar.
• Anulação dos pensamentos ou sentimentos que relembrem a tortura psicológica, como forma de se proteger e resistir.
• Diminuição da capacidade de fazer novas amizades, com sentimentos de isolamento, tristeza profunda e indiferença ao sofrimento alheio.
• Sensação negativa do futuro.
• Mudança de personalidade, passando a praticar violência moral.
• Aumento do peso, emagrecimento exagerado, distúrbios digestivos, hipertensão arterial, tremores e palpitações.
• Diminuição da libido.
• Aumento do consumo de bebidas alcoólicas e outras drogas.
• Agravamento de doenças pré-existentes.
• Sentimento de culpa, pensamentos suicidas ou mesmo tentativa de
suicídios.

Postado por Comunicação SEEB Santos e Região em Saúde e Segurança
Atualizado em: 08 de dezembro de 2016

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!