#SeLiga

Mesmo cumprindo as metas, trabalhadores do Itaú ficam sem remuneração

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Mesmo cumprindo as metas, trabalhadores do Itaú ficam sem remuneração

Bancários que fazem parte de equipe ligada a políticas do Bacen não receberam os benefícios. Movimento sindical já cobrou o banco sobre o pagamento para todos os funcionários.

Reconhecer que os bancários cumpriram metas e compromissos é sempre positivo. O problema começa quando parte de uma equipe recebe os louros (e a remuneração) por isso e outra parte fica de fora do reconhecimento. É o que aconteceu no Itaú, onde parte da equipe ligada a políticas ligadas ao Banco Central (Bacen) não foi contemplada com a remuneração variável pelo cumprimento de metas.

Apesar da reivindicação de que todas as remunerações variáveis sejam negociadas com o movimento sindical, estabelecendo regras claras para quem estará elegível para recebê-las, neste caso isso não aconteceu. O Itaú criou um critério próprio para os trabalhadores que realizam atividades vinculadas ao Bacen, pagando em 27/03 a quantia de R$ 2,5 mil para cada bancário por ‘reconhecimento ao trabalho realizado’.

O problema é que inúmeras áreas do banco possuem metas relacionadas ao Bacen e a órgãos públicos e que ficaram de fora do bolo. São pessoas que trabalham com áreas vinculadas a políticas, monitoramento, acompanhamento sistêmico, entre outros, visando à redução do nível de reclamações vinculados ao órgão, já que o banco é uma das instituições mais vulneráveis no âmbito das reclamações.

O banco justifica a diferenciação dizendo que só tem direito aos valores os trabalhadores que tiverem a meta de redução estipulada no contrato de metas.

No entanto, todos foram chamados a responsabilidade para que a meta fosse atingida, e agora os gestores fazem reuniões internas pedindo que os funcionários sejam ‘maduros’ e que compreendam que o banco não pode pagar para todos. Os gestores possuíam a meta em seus contratos e receberam o valor, já os subordinados foram os mais prejudicados.

O movimento sindical se posicionou contra a diferenciação no pagamento dos trabalhadores e cobrou que todos os que participaram da construção do resultado sejam beneficiados.

Fonte: SEEB SP
Postado por Fabiano Couto em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!