Precarização

Lei da terceirização de Temer é imprecisa e nebulosa

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Lei da terceirização de Temer é imprecisa e nebulosa

Para procuradora do Trabalho, legislação provada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Temer, só aumentará a insegurança jurídica, já que leva a diversas interpretações.

Essa é avaliação da procuradora do Trabalho, Eliane Lucina. Para ela, a Lei 13.429/17, da terceirização, aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Temer, só aumentará a insegurança jurídica, uma vez que leva a diversas interpretações.

“Na minha interpretação não foi liberada a terceirização irrestrita. A terceirização para a atividade-fim é só para as hipóteses de trabalho temporário e não para hipótese de prestação de serviço, porque a lei quando fala do trabalho temporário fala especificamente da atividade fim e meio. E quando ela trata da terceirização – que não é do trabalho temporário – ela não fala de atividade-fim, nem atividade-meio, apenas em atividades específicas”, destacou de Eliane Lucina.

# Índio: Futuro do Brasil enfrenta semana decisiva

A procuradora tem o mesmo entendimento em ralação aos concursos públicos. Para ela, a lei tem de ser interpretada em consonância com as demais leis: a Constituição e a CLT. “O artigo 37 (da Constituição) não foi revogado, que estabelece o serviço público. Então eu entendo que não se aplica para as atividades-fim de órgãos públicos”, afirmou.

# Para OAB-SP, reforma trabalhista, neste ambiente, é desonesto

Eliane Lucina também derruba a tese de que a nova lei da terceirização possa gerar empregos. “Vai haver uma substituição de mão de obra e não a criação de novos postos de trabalho”, destacou, ao afirmar que essa legislação abre brecha para que trabalhadores contratados diretamente possam ser dispensados e recontratados por meio de empresas terceirizadas.

Greve Geral
É muito importante que os bancários participarem da greve geral do dia 28 de abril, contra a retirada de direitos. O protesto contra a terceirização e as reformas trabalhista e da Previdência, e em defesa dos bancos públicos, irá paralisar as atividades de trabalhadores de todo o país.


É hora de reagir!

Lei da terceirização de Temer é imprecisa e nebulosa

Fonte: SEEB SP
Postado por Fabiano Couto em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!