Portas giratórias

Santander pretende colocar em risco a vida de bancários e clientes

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Twitter
Santander pretende colocar em risco a vida de bancários e clientes

O Santander se transformou no líder em insegurança e desconforto para funcionários e clientes. Depois de empurrar para o autoatendimento clientes que costumam pagar suas contas na boca do caixa, agora quer retirar as portas giratórias de todas as unidades. A alteração do projeto das agências vai expor funcionários e clientes a riscos de violência, que podem ser mortais!  

Com a alteração unilateral do projeto para suas unidades, o Santander vai ignorar as cidades que possuem a lei de instalações obrigatórias de portas giratórias, o banco pretende retirar todas as portas até julho deste ano. Segundo Fabiano Couto, secretário de comunicação do Sindicato dos Bancários de Santos e Região e funcionário do banco, essa medida é nacional e começou a ser implementada na Quarta-Feira de Cinzas. “Vamos acompanhar esse processo e responsabilizar os representantes do banco na região se qualquer ato de violência acontecer contra os bancários”, enfatiza.

 

As portas giratórias são os melhores dispositivos de segurança, pois detectam revólveres e outras armas sem colocar em risco a vida dos vigilantes, clientes e bancários.

  

“O que pretendem fazer é um absurdo. Estas portas giratórias reduziram os assaltos a banco em cerca de 80%. O Santander tem o dever de pensar mais na segurança dos cidadãos e não escancararem as portas das instituições financeiras e dar acesso livre aos bandidos. O banco espanhol precisa focar mais na segurança, que é o que o povo precisa diante de tantos crimes”, finaliza o secretário do sindicato.

 

Entenda a história dos assaltos

O jornal O Globo em 09/03/1995, publicava matéria afirmando que em São Paulo os roubos a banco tinham aumentado 119,5%. Naquela época, o vereador Ricardo Saraiva Big, hoje secretário geral do Sindicato dos Bancários de Santos e Região, apresentou e conseguiu aprovar projeto de Lei na Câmara de Santos, em 29/04/95, sobre a instalação de equipamentos de segurança nas portas das agências. Na época os bancos eram assaltados com facilidade e não era raro ter vítimas fatais. A lei foi copiada por várias cidades da Baixada Santista.

  

Depois da instalação das portas, no final da década de 90, houve uma redução de aproximadamente 80% no número de assaltos, conforme dados da própria Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), entidade patronal. Segundo a estatística da Febraban, ano de 2000 foram registrados 1.903 assaltos contra 369 em 2010.

  

Porém, em 2011 quando os bancos iniciaram uma campanha nacional para retirada deste equipamento reafirmando de muita importância à segurança das pessoas o número de roubos começou a aumentar e já foram contabilizados 422 em 2011, 14,36% maior em relação ao ano anterior. Isto só tende a aumentar nas cidades em que a Lei que obriga portas for derrubada.

  

Vamos ficar de olho nas câmaras de vereadores da região e investigar se existem outros parlamentares por trás desta farra da insegurança financiada pelos banqueiros. Não corra risco de morte exija segurança nos bancos e respeito dos políticos à sua vida!!!

  

Confira a evolução da estatística da Febraban:

. 2000 - 1.903
. 2001 - 1.302
. 2002 - 1.009
. 2003 - 885
. 2004 - 743
. 2005 - 585
. 2006 - 674
. 2007 - 529
. 2008 - 509
. 2009 - 430
. 2010 - 369
. 2011 - 422

 

 

Fonte Comunicação do SEEB de Santos e Região
Postado por Gustavo Mesquita em Notícias
Atualizado em: 08 de março de 2019

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!