Banespa

Privatização completa 14 anos

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Twitter
Privatização completa 14 anos

Os trabalhadores do Banespa que lutaram durante seis longos anos para evitar a venda do banco pelo governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) nunca irão esquecer dos trâmites que levaram à privatização, ocorrida em 20 de novembro de 2000. No entanto, mesmo após tantos anos após o fatídico dia, a resistência do movimento segue garantindo conquistas e direitos dos bancários.

Além disso, lembramos da vitória da manutenção do Banesprev e da Cabesp para além do tempo previsto no edital de privatização (18 meses e 60 meses, respectivamente), obtida em negociações com o banco entre os sindicatos e a AFUBESP.

Os frutos desta luta continuam brotando: graças à mobilização constante, a renovação do Acordo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho com vigência para os próximos dois anos está próximo, com avanços referentes à melhoria das condições de trabalho, igualdade de oportunidades, bolsa-estudo, assinatura do termo de compromisso da patrocinadora com Cabesp/Banesprev, entre outros pontos que fazem diferença na rotina dos bancários. Os resultados da negociação serão submetidos em assembleia em breve. O Santander é o único banco privado no Brasil que possui um acordo aditivo específico - o que é uma grande vitória para seus trabalhadores.

Leia mais sobre o Acordo Aditivo

Resgate histórico

À época da privatização, o movimento sindical - com o apoio e participação ativa da sociedade em geral - protagonizaram diversas batalhas entre reuniões com parlamentares, vigílias e ações na justiça com o objetivo de suspender a entrega do banco paulista e de enfrentar a política privatista do então governo. Em resistência, o entendimento era de que este modelo aliado aos interesses internacionais beneficiava os grandes bancos privados e atacava os direitos trabalhistas. Porém, na manhã do dia 20 de novembro de 2000, o Banespa foi vendido por preço subavaliado ao Santander na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, despertando tristeza e indignação daqueles que defendiam a soberania nacional.

Desfechos como este não ocorreram somente com o Banespa, mas com outros tantos bancos outrora estatais, como o Meridional, o Banerj e outros. Durante os anos 1990, privatizar era ato recorrente: a Vale do Rio Doce, CSN, Telebrás e Eletropaulo também foram entregues com a promessa de solução dos problemas nacionais. No entanto, a miséria aumentou, os serviços foram sucateados, a dívida externa se agravou e a taxa de desemprego bateu alta recorde.

Com o histórico de políticas entreguistas, não é de se espantar que os trabalhadores se preocupem atualmente com ameaça da redução do papel dos bancos públicos, que pode significar redução de empregos, fechamento de agências e até mesmo a retomada da onda de privatizações.

Fonte Afubesp
Postado por Fabiano Couto em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!