#SempreNaLuta

Intersindical denuncia descasos contra brasileiros em encontro internacional

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Intersindical denuncia descasos contra brasileiros em encontro internacional

Relatório do Secretário de Relações Internacionais da Intersindical, Ricardo Saraiva Big, sobre o Encontro Anti-Imperialista em Cochabamba/Bolívia

Entre os dias 30 de junho e 02 de julho de 2014, na Cidade de Cochabamba/Bolívia, aconteceu o Encontro Sindical Internacional Anti-Imperialista com a participação da INTERSINDICAL CENTRAL DA CLASSE TRABALHADORA e mais de 50 organizações e 1.200 militantes sindicais (com 150 delegados internacionais de 24 paises).

A atividade foi promovida pela Federação Sindical Mundial (FSM), Central Obreira Boliviana (COB) em coordenação com o Estado Plurinacional da Bolívia e contou com a presença na abertura e encerramento do presidente boliviano Evo Morales. Logo no início, o Secretário de Relações Internacionais da INTERSINDICAL, Ricardo Saraiva, o Big, denunciou os gastos de R$ 34 bilhões que o Governo Dilma (PT) e os governos Estaduais fizeram para realização da COPA DO MUNDO, dinheiro público utilizado para financiar empreiteiras e grandes empresas, enquanto para as áreas sociais não existe investimentos necessários para reverter as profundas desigualdades sociais que afetam nosso povo. Para realizar as obras, muitas famílias foram removidas de suas casas por meio da violência inaceitável do governo e que foram construídos estádios e alguns deles derrubados para serem reconstruídos para privilegiar poucos endinheirados. Além disso, as obras não deixam nenhum legado ao povo. Infelizmente os meios de comunicação brasileiros enviam notícias para o mundo que tudo corre as mil maravilhas.

Depois de salientar o que ocorre no País, Big denunciou as demissões de 42 metroviários, impostas pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin(PSDB), bem como a truculência da Tropa de Choque da Polícia Militar(PM). Esta denúncia repercutiu nas duas falas de encerramento do Encontro. O Secretário Executivo da Central Operária Boliviana (COB), Juan Carlos Trujillo, fez questão de afirmar em dois momentos distintos que: "apesar de todos nós gostarmos de futebol, não podemos deixar de constar nas resoluções deste Encontro Sindical Internacional Anti-Imperialista o que o povo brasileiro vem passando pela forma que está sendo realizada esta COPA DO MUNDO NO BRASIL

O Encontro aprovou por unanimidade a Tese Política anti-imperialista, contra as oligarquias e a hegemonia do capitalismo que denúncia a hegemonia política do império contra os países e povos. Como exemplo, foi lembrado o sequestro do avião do presidente boliviano, Evo Morales, que ficou retido por 14 horas em Viena (capital da Áustria) impedido de sobrevoar países da Europa, por ordem dos Estados Unidos. Num grave ato de intimidação ao governo soberano da Bolívia. Após a leitura feita por Juan Carlos Trujillo, as resoluções aprovadas se converteram em tese política que servirá como referência para enfrentar o capitalismo e unificar o movimento sindical classista internacional frente ao capitalista e o imperialismo. Isto refletiu sobre o programa de transformações políticas do processo boliviano, o bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos a Cuba há mais de meio século, o processo de paz na Colômbia, a defesa da soberania da Venezuela, o direito da Bolívia à uma saída ao mar e da Argentina de recuperar as Ilhas Malvinas.

Evo Morales conclamou a classe trabalhadora a disputar os rumos dessa nova América e não permitir retrocessos e o secretário-geral da FSM, George Mavrikos, denunciou a hipocrisia do EUA e seus aliados em defender a democracia e os direitos humanos, “porém invadem e agridem nações. Na verdade, eles buscam o domínio político e o saque dos recursos naturais desses povos”.

O Secretário-Geral da COB, Juan Carlos Trujillo, disse que todos estavam ali para defender a unidade da classe trabalhadora, estratégia fundamental para o enfrentamento a essa ofensiva imperialista. O Encontro Sindical Internacional anti-imperialista deu um passo muito importante para o movimento sindical internacional e os setores populares.

“Nós da INTERSINDICAL, que temos compromisso para com um sindicalismo classista, e propomos o socialismo, como um modelo de sociedade diferente em favor dos trabalhadores e trabalhadoras e dos povos empobrecidos por este sistema capitalista, temos uma grande tarefa a realizar, finaliza Big”.

"TRABALHADORES DO MUNDO UNI-VOS" KARL MARX

 

Leia a Tese política anti-imperialista: 

Versão em Português

Versão em Espanhol

Fonte Intersindical
Postado por Fernando Diegues em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!