POF

IBGE mudará cálculo do índice de inflação

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Twitter
IBGE mudará cálculo do índice de inflaçãofreepik

Atualização da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) resultará em mudanças no cálculo do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)

Com rápidas mudanças nos hábitos de consumo, o IBGE está atualizando sua Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), o que levará também a mudanças no cálculo do Índice de Preços ao Consumidor Amplo, indicador oficial de inflação no país. A partir de janeiro, os gastos com transportes vão superar a alimentação na composição do IPCA, que tem 377 produtos e serviços.

 

Segundo o instituto, a nova estrutura terá seis subitens a menos, no total. Mas conta com 56 novos itens. Se por um lado mostram o avanço de tecnologia, as alterações no IPCA também revelam itens em desuso pelas famílias. Entram, por exemplo, transporte por aplicativo, serviços de streaming e combos (internet, TV, telefonia). Outra tendência detectada são os gastos com animais de estimação. Por outro lado, deixam de ser calculados – ou são agregados a outros – itens como aparelhos de DVD, assinaturas de jornal, fotocópia e máquinas fotográficas (revelação e cópia).

 

Na POF referente ao período 2017/18, o grupo Transportes passa a responder por 20,84% das despesas de consumo, superando Alimentação e Bebidas, com 18,99%. Mesmo assim, reduziu sua participação em relação à pesquisa 2008/09 (21,95%). O IBGE apurou redução em transporte público (de 4,50% para 3,16%) e incorporou despesas com integração no transporte público (0,07%) e transporte por aplicativo (0,21%). O peso do veículo próprio soma 11,66%, o que segundo o IBGE “mostra o comprometimento dos orçamentos das famílias com despesas associadas à aquisição e/ou manutenção de veículos, como emplacamento e licença, seguro, multa, estacionamento, manutenção e conserto, peças e acessórios etc”.

 

A mudança de hábitos chega também à alimentação. O instituto incluiu, por exemplo, itens como macarrão instantâneo (0,03%), polpa de fruta congelada (0,01%), alimentos infantis e vinho (tanto fora como dentro do domicílio). Saem do cálculo produtos como quiabo, chá, ervilha e carne em conserva e patês, entre outros. Também entraram agora no cálculo itens como conserto de bicicleta, sobrancelha, atividade física, cabeleireiro/barbeiro, depilação, tratamento e serviços de higiene para animais.

 

Entre as 16 áreas onde o IPCA é calculado, a região metropolitana de São Paulo aumentou participação, de 30,67% para 32,32%. A do Rio de Janeiro diminuiu, de 12,06% para 9,41%, assim como a de Belo Horizonte (de 10,86% para 9,74%). Brasília passou de 2,80% para 4,09%. Salvador recuou (agora está com 5,99%), assim como Recife (3,93%), Fortaleza (3,22%) e Curitiba (8,05%) cresceram, Porto Alegre avançou (8,59%). A região de menor peso é a de Rio Branco, que avançou ligeiramente em 10 anos, de 0,42% para 0,51%.

 

INPC também muda

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) também vai mudar, com 61 novos subitens, em um total de 368 produtos e/ou serviços. Nesse caso, Alimentação e Bebidas se mantém como grupo de maior peso (21,5%), seguido de Transportes (20,02%) e Habitação (17,05%).

 

A diferença entre o IPCA e o INPC é que é o primeiro índice reflete despesas de consumo de famílias com rendimento mensal de 1 a 40 salários mínimos, enquanto o segundo abrange a faixa de 1 a 5 mínimos.

Fonte Rede Brasil Atual
Postado por Comunicação SEEB Santos e Região em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!