Diversidade

Bradesco, onde estão os bancários negros?

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Bradesco, onde estão os bancários negros?

54% da população, negros e negras são apenas 23,1% dos trabalhadores do banco e enfrentam mais dificuldades para crescer na carreira; Bancarios cobram políticas de promoção da diversidade.

De acordo com dados do IBGE, os brasileiros pretos e pardos (grupos agregados na categoria negros) representam 54% da população. Porém, entre os bancários do Bradesco são apenas 23,1%, percentual inferior à média geral dos bancos brasileiros, 24,8% segundo o Censo da Diversidade 2014.

 

Se levarmos em consideração somente os pretos, excluindo bancários pardos, a situação é ainda pior. Apenas 3,1% dos bancários do Bradesco são pretos. A representatividade no banco é muito baixa.

 

Quanto mais alto o cargo, menos negros


A ausência de representatividade de negros e negras no Bradesco se revela ainda mais aguda quando analisados cargos de diretoria, superintendência e gerência.

 

Preencha a pesquisa Bancári@s da Baixada Santista (leva no máximo 3 minutos)

 

Não temos nenhum negro ou negra em cargos de diretoria e superintendência. Nos cargos de gerência, os gerentes pretos representam apenas 0,3% do total de funcionários do banco, pardos 2,95%, enquanto gerentes brancos são 11,2%. Esses dados, incluídos no relatório de sustentabilidade do banco, revelam que negros e negras têm mais dificuldades de ascender profissionalmente no Bradesco, apesar de possuírem formação e competência para isso.

 

Setor financeiro


Nos bancos brasileiros, negros têm rendimento médio correspondente a 87,3% do rendimento médio dos brancos. E as mulheres negras sofrem ainda mais discriminação: seu rendimento médio corresponde a apenas 68,2% do dos homens brancos. Os dados são do Censo da Diversidade Bancária, levantamento mais recente, realizado em 2014.

 

No Brasil, a luta contra o racismo, a discriminação e pela representatividade de negros e negras ainda é longa. Por 350 dos seus 517 anos, nosso país impôs a escravidão a quase seis milhões de africanos e seus descendentes, sendo o último país a abolir o regime escravocrata, em 1888. Esse vergonhoso passado se reflete nos dias de hoje em todos os setores, inclusive no financeiro, o mais lucrativo do país.

 

Cobramos do Bradesco que promova políticas de promoção da diversidade e de ascensão profissional de bancários negros. Não podemos mais aceitar que negros e negras sigam relegados a posições de baixa visibilidade nas instituições financeiras, reforçando um racismo estrutural que contamina todos os setores do nosso país. É mais do que na hora de ocuparem posições de destaque. Formação e competência não faltam.

 

Não fique só, Fique Sócio e defenda-se contra o preconceito nas agências bancárias de Santos e região

 

 

Fonte: SEEB SP
Postado por Fabiano Couto em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!