Assédio é Crime

Assédio Moral contra as MULHERES no trabalho

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Assédio Moral contra as MULHERES no trabalho

O ambiente de trabalho é como um local de grande relacionamento e convivência cotidiana entre as mais diversas formas e classes de pessoas, tornou-se ao longo do tempo o espaço ideal para o desencadeamento do assédio moral.

Se faz interessante a observância da situação da mulher nesse contexto, pois como a inserção feminina no mercado de trabalho é fenômeno recente, as barreiras encontradas pelas mulheres passam pelas mais diferentes situações, são maiores e mais dinâmicas quando em comparação a vivência dos homens.

A mulher é alvo constante de assédio moral nas relações de trabalho. O assédio moral deixa efeitos psicológicos ao assediado, o que reflete consequências econômicas nas organizações. Esse fenômeno no ambiente de trabalho causa tamanho impacto negativo, desde efeitos psicológicos à saúde até o aspecto econômico provocado, assim deve-se partir ao combate constante desta prática e isto deve começar a ser feito dentro do próprio local ao qual se origina. O primeiro passo em direção a formulação de novas concepções acerca do comportamento humano perante as práticas de assédio moral.

O conceito de assédio moral nas relações de trabalho pode encontrar diferentes significados, depende do enfoque a ser observado, seja ele o conceito médico, psicológico ou jurídico.

Confirma-se esta existência de diferenciação de conceitos nas palavras de Martha Halfed Furtado de Mendonça Schmidt, onde ela ressalta que:
“existem várias definições que variam segundo o enfoque desejado (médico, psicológico ou jurídico). Juridicamente, pode ser considerado como um abuso emocional no local de trabalho, de forma maliciosa, não sexual e não racial, com o fim de afastar o empregado das relações profissionais, através de boatos, intimidações, humilhações, descrédito e isolamento”.

O conceito mais utilizado de assédio moral, é o da médica, mestre e doutora em Psicologia Social, Maria Margarida Barreto, ela define que:
“assédio moral é a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, sendo mais comum em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e aéticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego”.

Perante essa conceituação, o assédio moral no trabalho não se faz a partir de atos isolados, e sim de sua constante repetição, intencionalidade, direcionamento de assédios, temporalidade ocorrente, o que leva impreterivelmente a degradação do ambiente de trabalho, que chega alterar os valores humanos pessoais, interfere negativamente na saúde, no bem-estar geral e qualidade de vida das pessoas.

Fonte: Portal da Educação
Postado por Fabiano Couto em Notícias
Atualizado em: 25 de agosto de 2016

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!