#NãoVaiTerGolpe

A Fiesp quer que você pague o pato

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
A Fiesp quer que você pague o pato

A FIESP não quer pagar o pato,
Não quer pagar impostos,
Não quer pagar os direitos trabalhistas,
Não quer taxação de fortunas,
Não quer hora de almoço,
Não quer prejuízo.
Então o que a FIESP quer?
A FIESP que acabar com os direitos trabalhistas,
A FIESP quer ser isenta de impostos,
A FIESP quer terceirização,
A FIESP quer reduzir salários,
A FIESP quer o fim da estabilidade no emprego,
A FIESP quer dinheiro do governo a juros de pai pra filho,
Por fim, a FIESP quer explorar ainda mais os trabalhadores sem se ser incomodada.

Leia Mais: Todo apoio a Guilherme Boulos

O pato da Fiesp e a Tieta de Jorge Amado

Soube há pouco que furaram o pato gigante que integra a milionária campanha pró-impeachment financiada (em tempo de “crise econômica”) pela FIESP e que estava à frente do Congresso Nacional.

De imediato me veio, à memória, o final de “Tieta do Agreste”, de Jorge Amado.

Tieta é a responsável por trazer a luz (elétrica e espiritual) a Santana do Agreste, cidade da qual fora expulsa quando adolescente pobre e pra qual retornara, rica e influente, décadas depois. Mas, pouco antes da inauguração da nova iluminação pública, revela-se, à elite dessa cidadezinha, o segredo de Tieta: ela construiu sua fortuna e boas relações políticas por meio da prostituição – algo que a moralista, hipócrita e corrupta elite local não admitia.

Em retaliação – e apesar de ser Tieta a responsável pela chegada da luz que traria enormes benefícios a Santa do Agreste – a elite local decide batizar a praça onde a iluminação pública funcionou pela primeira vez com o nome de um dos seus oligarcas/plutocratas já falecidos.

Contudo, encerrada a festa de inauguração, na calada da noite, alguém substitui a placa de metal onde se lê o nome dessa “autoridade” por outra onde se pode ler “Praça da luz de Tieta”, uma placa artesanal, “feita por mãos anônimas, mãos do povo”.

Na ficção como na vida, sempre há resistência, né Jorge Amado? Salve Jorge!

O pato não é nosso. Não vai ter golpe!

O texto acima foi publicado por Jean Wyllys no Facebook.

Postado por Fabiano Couto em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!