Dia Internacional da Mulher

8M: Pela Vida Das Mulheres Trabalhadoras!

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
8M: Pela Vida Das Mulheres Trabalhadoras!Fabiano M. Couto

Neste 8 de março, vamos juntas às ruas para realizar um dia internacional de luta contra o machismo, a violência e a cultura do estupro e por nenhuma a menos.

O 8 de Março foi historicamente construído por mulheres trabalhadoras com o objetivo de organizar as mulheres para enfrentar as dificuldades impostas pelo capitalismo e pelo machismo. Não queremos flores, queremos lutar por nossos direitos!

 

O Brasil é um dos países que mais mata mulheres pessoas transsexuais. A cada uma hora e meia, uma mulher é assassinada por causa do machismo presente em nossa sociedade. No caso da mulher negra a violência é ainda mais brutal. Houve um aumento de 54.2%, entre 2002-2013, nos assassinatos em consequência do racismo.

 

Acontecem 50 mil estupros, a cada ano, e a maioria ocorre dentro de casa, praticado por um conhecido da vítima.

 

Segundo dados do DIEESE (2013), no Brasil somos 50% da força de trabalho. Dessas mulheres, 40% trabalham em situação precária, sendo que a imensa maioria, 70%, é composta por negras.

 

# Conheça as políticas da Secretaria de Mulheres do Sindicato

 

Nós, mulheres trabalhadoras, seremos as mais atingidas com o desmonte da Previdência Social pois será preciso ter 40 anos de contribuição e 65 anos de idade para conseguirmos a aposentadoria. Estas alterações na idade e no tempo de contribuição desconsidera o trabalho doméstico, que soma cinco horas a mais de trabalho, por semana, que continua sendo responsabilidade das mulheres. As mulheres já recebem 35% a menos que os homens para exercer a mesma função, além disso, dos seis bilhões de empregadas domésticas existentes, 30% não tem registro em carteira.

 

88% das mulheres têm jornada dupla ou tripla de trabalho. Somos as usuárias e as trabalhadoras dos serviços públicos precarizados, como as escolas, as creches, os postos de saúde, a segurança pública e que tiveram os investimentos já insuficientes, congelados pela PEC que limitou os gastos públicos por 20 anos e seremos ainda, profundamente atingidas, inclusive, pelas mudanças nas leis trabalhistas.

 

Por isso, neste 8 de março, vamos juntas às ruas para realizar um dia internacional de luta contra o machismo, a violência e a cultura do estupro e por nenhuma a menos. Vamos também dizer que somos contra a reforma da Previdência e que ocuparemos as ruas contra os retrocessos que o País atravessa.

 

PROGRAMAÇÃO:

 

16 horas - concentração e atividades culturais, na Estação da Cidadania ( esquina das Avenidas Ana Costa e Francisco Glicério)

 

* Intervenção Teatral da Cia Imaginário;


* Oficina de Silk;


* Varal de poesias;


* Bate papo;


* Música.

 

18h30 - Saída da MARCHA rumo à Praça da Independência

 

POR NENHUMA A MENOS!

 

Atividade adequada para crianças

 

# Confirme presença no evento

Fonte: Basta de Violência Contra a Mulher
Postado por Fabiano Couto em Notícias
Atualizado em: 05 de março de 2018

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!