Ataques não param!

Assim que aprovaram o desmonte das Leis trabalhistas surgem PDVs

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Assim que aprovaram o desmonte das Leis trabalhistas surgem PDVsGilberto Maringoni

Não há nada tão ruim que não possa ficar pior!

Cuidado com o canto da sereia chamado PDV (Plano de Demissão Voluntária). Por exemplo, parece uma maravilha ganhar dez salários e seus direitos juntos, mas eles terminam em alguns anos. E depois? Como vai pagar os planos de saúde, odontológico, o INSS, sustentar a casa, sobreviver?

 

Existe um único caminho ao bancário(a)

A filiação e o fortalecimento do Sindicato, que verdadeiramente represente a categoria, é a única saída contra o rebaixamento de salários, retirada de direitos, precarização das condições de trabalho e o desemprego. Não há nada tão ruim que não possa ficar pior!

 

“Os bancários ainda são uma das poucas categorias com um Acordo Coletivo Nacional. Que garante uma negociação forte junto ao patrão. Que pressiona e faz greve nacional para beneficiar os bancários e bancárias. Não caia no canto da sereia, procure o Sindicato e denuncie pressão para PDVs, assédios, precarização de condições de trabalho e etc”, afirma Eneida Koury, Presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região.

 

Estas mensalidades garantem o corpo jurídico, dentistas, gasolina para deslocamento, carros, funcionários para atendimento, jornais, cartazes, site, whatsapp para denunciar os maus tratos e proteger os bancários e bancárias. Lazer, barraca de praia, quadra de futebol soçaite, piscina, churrasqueira, auditórios, sedes etc.

 

Desemprego com PDVs na era FHC

Vamos ativar a memória dos bancários e bancárias. No ano 2000, o Brasil era o segundo do mundo em taxa de desemprego, quando a avaliação era de números absolutos, com 11,45 milhões de pessoas desempregadas. O país perdia apenas para a Índia, então com 41,3 milhões de desempregados. Os mais antigos, especialmente os funcionários públicos e de empresas estatais, como do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, não esquecem dos 8 anos de reajuste zero, no governo FHC.

 

Os Planos de Demissão Voluntária (PDVs) faziam o trabalho sujo do governo FHC (PSDB) em sua reestruturação do setor financeiro, reformas administrativas e previdenciária, com a criação do Fator Previdenciário. Sempre objetivando a privatização e o fim da aposentadoria.

 

Desemprego com PDVs na era Temer

Com Temer (PMDB) e Meirelles (PSD) as coisa retomaram o mesmo rumo, ou pior! Pois Temer tem na sua mão um Congresso corrupto, comprado para aprovar estas reformas que exterminam direitos, postos de trabalho e a aposentadoria da classe trabalhadora. Desde que deram o golpe, já instalaram PDVs e desligaram milhares de trabalhadores na Petrobrás, Conab, Eletrobrás, Infraero, Correios, Caixa duas vezes, BB, Banrisul e Bradesco, entre outros. Chegamos a 14,3 milhões de desempregados.

 

Temer fala em crise, mas continua pagando os mais altos juros da dívida pública aos banqueiros, comprando deputados e senadores para empurrar reformas e leis contra os mais pobres. Destruindo a saúde, a educação e a previdência públicas. Enfraquece as representações sindicais para rebaixar salários, explorar o trabalhador e dar mais lucros aos patrões. Não é por acaso que PMDB e PSDB estão unidos na defesa do capital contra os trabalhadores!

Escrito por: Gustavo Mesquita
Fonte: Imprensa Seeb Santos e Região
Postado por Comunicação SEEB Santos e Região em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!