Campanha Salarial 2016

A Greve Nacional continua: Bancários não podem pagar o pato!

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
A Greve Nacional continua: Bancários não podem pagar o pato!

Em sintonia com política do governo Temer, bancos querem reduzir custo do trabalho no acordo com bancários. Greve continua! Comando Nacional da categoria rejeitou proposta na mesa e permanece de plantão.

A greve dos bancários continua. Os bancos apresentaram ao Comando Nacional da categoria, nessa quarta-feira, a proposta completa de dois anos: manutenção do reajuste de 7% para 2016, com abono de R$ 3.500 – reforçando que não vão repor a inflação este ano. Para 2017 o aumento seria de 0,5% acima da inflação. A proposta foi rejeitada na mesa de negociação pelo Comando já que, além de insistir no reajuste rebaixado em 2016, não trazia qualquer avanço na manutenção dos empregos, reivindicações de saúde e condições de trabalho. Para VA, VR e auxílio-creche o reajuste também seria de 7%, abaixo da inflação, quando esses itens subiram em média 14%. O Comando informou à Fenaban que manterá um plantão.

A mudança de modelo foi sugerida na nona rodada de negociação da Campanha Salarial 2016, realizada na terça-feira 27, e encerrada nesta quarta-feira, 23º dia de greve da categoria. 

Se Liga: Bancários do BB incentivam doação de sangue na Campanha Salarial

Os bancos perderam a oportunidade de resolver a greve. Conforme dissemos ao final da reunião de terça-feira, quando a Fenaban anunciou a proposta de mudança de modelo, só poderíamos analisar se trouxesse ganhos para os trabalhadores. Como a proposta detalhada nessa quarta ainda impõe perdas aos bancários, o Comando rejeitou e a greve continua.

Cadastre-se no whatsapp do Sindicato dos Bancários

Curta nossa fanpage e fique por dentro das novidades da categoria

Greve continua
A paralisação nacional está chegando a 24 dias nesta quinta-feira. Em sintonia com a política de ataque aos direitos dos trabalhadores pelo governo Temer, os bancos querem impor perdas, dar um golpe no reajuste dos bancários. Querem jogar o custo do ajuste fiscal para os trabalhadores das empresas públicas, que a classe trabalhadora pague o pato. Só com ainda mais mobilização vamos forçar os bancos a mudar essa proposta. A culpa da greve é dos bancos! Os bancários reforçaram a disposição de negociar, mas os bancos novamente demonstraram seu desrespeito, tanto em relação aos seus funcionários e clientes, e toda a sociedade.

Leia Também: A GREVE CONTINUA nesta quinta, 29, 24º dia da paralisação nacional

 

Fonte: SEEB SP
Postado por Fabiano Couto em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!