Desrespeito

Santander impõe reajustes abusivos nos convênios

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Santander impõe reajustes abusivos nos convênios

Sem negociar com representantes dos trabalhadores, banco espanhol aumenta o valor dos planos médico e odontológico muito acima da correção salarial obtida pela categoria na Campanha 2016

Novembro é um mês de apreensão para os bancários do Santander, pois eles sabem que sofrerão aumentos abusivos nos convênios médico e odondológico. Neste ano não foi diferente. Unilateralmente, o banco espanhol reajustou os valores entre 27% e 56%, muito acima da correção salarial obtida pela categoria bancária na Campanha Nacional deste ano, que foi de 8%.


Isso demonstra o desrespeito do Santander em um tema tão sensível e importante para os seus trabalhadores, que adoecem e necessitam cada vez mais de tratamentos médicos justamente por causa da alta carga de trabalho e cobrança por metas impostas pela instituição.


Os bancários sentem que os convênios são cada vez menos vantajosos.  Além dos aumentos abusivos, desde 2014, o banco mudou os critérios de coparticipação. Desde aquele ano, os dependentes com idade entre 21 e 24 anos pagam como uma vida a mais. Antes pagavam um valor menor. O retorno dessa condição é uma das reivindicações da pauta específica dos trabalhadores do Santander.

 

Cadastre-se no whatsapp do Sindicato dos Bancários


Além disso, o Santander aumentou a coparticipação, de 15% para 20%, no valor de exames e consultas, sem teto de despesa. Diferentemente da Cabesp, na qual os assistidos – funcionários oriundos do Banespa – pagam um máximo de R$ 125, independentemente da quantidade de exames e consultas realizadas.


A ausência de um teto de gastos impede o funcionário de procurar tratamento adequado para ele ou seus dependentes, porque pode leva-lo a não ter condições de arcar com todos os custos.


Discriminação


Ainda por cima há a discriminação com a qualidade dos convênios. Quem ocupa cargos mais altos e recebe salários maiores conta com planos melhores.  No plano de saúde dos funcionários oriundos do Banespa, todos contribuem com o mesmo percentual em cima do salário, e todos têm direito ao mesmo plano. Não existe discriminação.


Em anos anteriores, o movimento sindical enviou uma notificação extrajudicial questionando esses pontos e nem sequer obteve uma resposta do Santander, que propaga uma imagem de preocupação com o trabalhador, mas esses fatos relacionados ao convênio mostram o contrário.

Fonte: Com informações do Seeb SP
Postado por Comunicação SEEB Santos e Região em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!