Desumanização

Santander é condenado por sequestro de Bancária e filhos

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Santander é condenado por sequestro de Bancária e filhos

Com seu casal de gêmeos nas mãos dos criminosos, Bancária teve negado pela direção de sua agência pedido para retirar dinheiro do resgate.

O Santander foi condenado a indenizar uma bancária sequestrada junto com seus filhos gêmeos, um casal com quatro anos de idade. A decisão é do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, do Rio de Janeiro (TRT/RJ), confirmando sentença anterior de primeiro grau proferida pela juíza Adriana Leandro de Souza Freitas, na 71ª Vara do Trabalho.

 

A bancária e seus filhos foram sequestrados na manhã de 17 de junho de 2011, ao sair de casa. Os sequestradores ficaram com as crianças e exigiram que ela fosse à agência onde trabalhava, no Complexo do Alemão, para retirar todo o dinheiro para pagamento de resgate. Ao chegar na agência, em vez de pegar o dinheiro, ela comunicou o fato aos seus superiores, que não permitiram a retirada. A bancária relata que permaneceu na unidade em estado de choque, desesperada, sem saber o que estava acontecendo com seus filhos, até que outro empregado do banco foi à delegacia e tomou conhecimento de que as crianças haviam sido abandonadas na rua.

 

Preencha a pesquisa Bancári@s da Baixada Santista (leva no máximo 3 minutos)

 

O banco foi contraditório em sua defesa, segundo o relator do caso, desembargador Rildo Albuquerque Mousinho de Brito, pois ao mesmo tempo em que alegou falta de provas quanto ao sequestro, descreveu o apoio psicológico despendido à bancária. Afirmou o réu, também, que as consequências da violência urbana não poderiam ser-lhe direcionadas.

 

Em seu voto, Rildo de Brito deixou claro não haver dúvidas sobre a ocorrência do sequestro, tendo sido comprovados o dano sofrido pela bancária e o nexo de causalidade - a conexão - com suas atividades de gerente. O desembargador acrescentou que “o TST, em diversas ocasiões, reconheceu a responsabilidade objetiva em casos de empregados cujas tarefas são exercidas em condições de risco acentuado”, como no presente caso, “fazendo jus a autora à reparação deferida pelo dano extrapatrimonial sofrido”, salientou o magistrado, cujo voto foi acompanhado de maneira unânime pelo restante do colegiado. O valor da indenização foi fixado em R$ 120 mil.

 

# Santander prevê a agência do futuro sem Bancários ou segurança

 

>> Acompanhe o Sindicato dos Bancários de Santos e Região nas principais redes sociais. É só curtir a página no Facebook ou se cadastrar no WhatsApp.

 

# Não fique só, Fique Sócio e defenda-se contra a Reforma Trabalhista!

Fonte: SEEB SP e TRT/RJ
Postado por Fabiano Couto em Notícias
Atualizado em: 06 de setembro de 2017

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!