#SeLiga

Santander demite gestante

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Santander demite gestante

O Santander, em evidente desrespeito à Convenção Coletiva de Trabalho, dificultou a readmissão de uma funcionária que descobriu estar grávida no momento da dispensa. Quando procurado pela bancária, o RH do banco espanhol não aceitou o exame de sangue como prova definitiva da gravidez, exigindo outros exames. Mesmo de posse de quatro exames de sangue, ultrassom e relatório do ginecologista, o banco não cancelou a demissão. Infelizmente, a trabalhadora sofreu um aborto no início de agosto. Ainda assim, sua situação no Santander permanece indefinida.

O Santander desrespeitou o artigo 26 da CCT por duas vezes. A primeira ao não aceitar o exame de sangue como prova da gravidez, dificultando a readmissão. E, como se este fato já não fosse muito grave, o banco continua a desrespeitar a convenção ao não readmitir a bancária após o aborto.

O artigo 26 da CCT garante estabilidade para a gestante a partir do início da gravidez e até 60 dias após o término da licença-maternidade. Já em caso de aborto, comprovado por atestado médico, é assegurada estabilidade por 60 dias.

Um banco como o Santander, que possui 60% de mulheres no seu quadro de funcionários, deveria respeitar a maternidade, a legislação e os acordos firmados com o movimento sindical. O exame de sangue é prova mais que suficiente de uma gravidez. Este tipo de constrangimento pode levar a gestante a um quadro de estresse prejudicial para ela e o bebê. E, ainda mais grave, é continuar com a postura insensível de não readmitir a funcionária após o aborto, talvez o momento mais delicado da sua vida.

O movimento sindical formalizou junto ao banco cobrança para que a demissão da trabalhadora seja cancelada imediatamente. Os representanstes dos funcionários do Santander vão acompanhar de perto a situação da bancária. E, uma vez readmitida, também será reivindicado que a direção do banco assuma o compromisso de que ela não sofrerá qualquer tipo de retaliação.

Leia Também: Pelo fim da desigualdade nos bancos entre mulheres e homens

 

Fonte: SEEB SP
Postado por Fabiano Couto em Notícias
Atualizado em: 19 de agosto de 2016

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!