Não à Precarização!

No Itaú, bancários têm de assoviar e chupar cana

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
No Itaú, bancários têm de assoviar e chupar cana

Com o objetivo de aumentar os lucros, banco manda cortar custos com material de limpeza, utensílios de copa e cozinha, lanche a até água; nem horas extras e ligações telefônicas ficaram de fora, mas as metas seguem as mesmas.

A mesquinharia do Itaú parece não ter limites. Mesmo tendo lucrado R$ 23,5 bilhões em 2015 e R$ 10,7 bilhões só no primeiro semestre deste ano, a ordem agora é cortar custos com os artigos mais triviais e essenciais, como lanche e café, utensílios de copa e cozinha, material de limpeza e até água mineral.

A determinação partiu de gestores em reuniões com gerentes de agências, e a meta é cortar 20% das contas em cada unidade bancária. “Última reunião de GGC (gerente-geral comercial) foi sobre reduzir custo da agência, cortar copo, café, pão e a água”, relatou por Whatsapp um bancário.

Mas se por um lado o banco manda cortar custos com utensílios básicos, por outro vai gastar dinheiro comprando porta retratos para os bancários enquadrarem uma tabela contendo os números de um a 10. A ideia é que, por meio deste painel – que deverá ficar exposto em cima da mesa de cada funcionário –, os clientes possam avaliar o atendimento prestado. É o que denunciam bancários de agências de São Paulo.

É um absurdo constranger dessa forma bancário e cliente, colocando-os em posição de um ter de pedir uma nota e outro ter de avaliar. Tem cliente que vai ao banco encerrar a conta por causa de algum problema ou fazer uma reclamação por algo que, sem ele saber, foge da alçada do funcionário, como preço de tarifa ou de juros. E aí, que nota essa pessoa vai dar para o atendimento?

A ordem é “eletronizar”
Os funcionários também receberam a ordem de “eletronizar todos os clientes a cada atendimento”. Isso significa cadastrá-los para que recebam atendimento digital.  É mais uma investida do banco para tirar clientes das agências com o objetivo de aumentar os lucros por meio do corte de postos de trabalho nas unidades físicas.

O fechamento de agências e eliminação de vagas, inclusive, foi a tônica do Itaú nos últimos meses. Entre junho de 2015 e junho de 2016, o banco cortou 2.815 postos de trabalho e encerrou as atividades de 161 unidades bancárias.

Estamos em meio à Campanha Salarial 2016 e uma das principais reivindicações da categoria este ano é a manutenção dos empregos. Mas só vai existir êxito nesta e em outros combates se os trabalhadores estiverem mobilizados junto ao Sindicato.

Em negociação ocorrida na segunda-feira 29, a Fenaban propôs reajuste salarial de 6,5% e abono de R$ 3 mil. O índice representará apenas 68% da alta inflação, que foi de 9,57% no período.  Na sexta-feira 2/09 tem assembleia, às 19h, na sede do sindicato (Avenida Washington Luiz, 140 - Santos). O Sindicato indica a rejeição da proposta.

Leia Mais: Proposta desrespeitosa leva Bancários a GREVE

Fonte: SEEB SP
Postado por Fabiano Couto em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!