Retrocesso

Mudança no crédito habitacional visa enfraquecer a Caixa

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Mudança no crédito habitacional visa enfraquecer a CaixaFernando Diegues

Apesar da importância do banco nesse mercado, governo vai reduzir percentuais de imóveis novos e usados que poderão ser financiados

No primeiro trimestre de 2017, o saldo da carteira de crédito habitacional da Caixa Federa totalizou R$ 412,9 bilhões, dos quais R$ 211,3 bilhões com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), R$ 200,8 bilhões do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e R$ 700 milhões com outras fontes. O banco permanece na liderança desse mercado, com 67,5% de participação no final de março. Apenas no ano passado, foram contratados R$ 81,8 bilhões, sendo R$ 62,9 bilhões com verbas do FGTS, segundo matéria da Fenae.

 

Apesar da importância nesse setor, o governo de Michel Temer tem tomado decisões que visam enfraquecer a atuação da Caixa. Segundo notícias divulgadas em meados de agosto, o banco vai reduzir de 90% para 80% o percentual que poderá ser financiado na compra de um imóvel novo. No caso dos imóveis usados, também haverá diminuição. A regra valerá para quem optar pela tabela SAC, que reduz o valor das prestações ao longo dos anos, a mais procurada pelos interessados nos empréstimos.

 

Um dos motivos é a decisão do governo de não aportar recursos na Caixa, medida que prejudica a população, os empregados e a própria empresa. A capitalização do banco não significa que o banco está quebrado, mas esse debate precisa ser feito com urgência. Ao decidir pela não capitalização, o governo pressiona a Caixa a buscar alternativas com corte no crédito, ampliação de tarifas e redução de despesas com pessoal. Nesse último quesito, há planos de demissão e tentativas de mexer nos direitos dos trabalhadores.

 

Enfraquecimento

O que está em curso é um projeto para reduzir a atuação do banco, sobretudo com o fatiamento de áreas como loterias, habitação e cartões. Em relação à Lotex, responsável pela popular ‘raspadinha’, o governo deseja entregar para a iniciativa privada ainda este ano. Essa poderá ser apenas uma porta para outras privatizações. Não podemos arredar pé dessa luta.

Fonte: Seeb SP
Postado por Fernando Diegues em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!