Defenda-se

Assédio moral, um mal a ser combatido

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
Assédio moral, um mal a ser combatidoFernando Diegues

Assédio moral não! Chama o Sindicato!

O Sindicato dos Bancários de Santos e Região, comprometido com a saúde e vida dos bancários e bancárias, recebe denúncias e desenvolve, constantemente, ações de combate às práticas de assédio moral nos bancos. O assédio, ou violência moral, tem sido utilizado como um instrumento de gestão em bancos públicos e privados para impor metas e um padrão de modo de trabalho que exclui as diferenças, estabelece um ritmo acelerado e pressão alucinante no ambiente de trabalho. O resultado dessa prática é o adoecimento de bancários e bancárias, que se tornam vítimas de doenças físicas e psíquicas, carregando sequelas que podem durar a vida toda.

 

Existem várias modalidades de assédio moral, dentre elas:

 

Assédio organizacional

Muito comum nos bancos, o assédio organizacional aparece como estratégias de gestão e tem como objetivo aumentar a produtividade (com imposição de metas) e o controle do trabalho. Sua manifestação se dá nas relações entre pessoas ou grupos. Nas situações de assédio organizacional, o assediador seduz e controla com ataques e desqualifica sistematicamente o outro. São verdadeiras ciladas contra o conjunto de trabalhadores e trabalhadoras.

 

Assédio Vertical

O assédio vertical ocorre quando o chefe persegue o subordinado, provocando o descontrole emocional do empregado e expondo-o a situações humilhantes.

 

Assédio horizontal ou paritário em que um grupo isola um membro

Essa modalidade de assédio acontece de colega para colega, que estão na mesma escala hierárquica. O assédio horizontal, de colega para colega, é observado principalmente quando não se consegue conviver com as diferenças, especialmente quando essas diferenças são destaques na profissão ou cargo ocupado.

 

Como promover saúde e resistir ao assédio moral?

>> Não se deixe abater. Converse com amigos e com a família sobre a situação.


>> Fortaleça os laços afetivos de amizade, confiança, companheirismo e solidariedade no ambiente de trabalho.


>> Dê visibilidade! Denuncie para amigos, família, colegas de trabalho e ao sindicato.


>> Anote tudo: faça um diário com detalhes e datas.


>> Converse com o assediador ou assediadora sempre na presença de testemunhas.


>> Seja solidário com a pessoa assediada.


>> Busque produzir sentido nas atividades de trabalho para resgatar o sentimento de inclusão.


>> Exercite a autonomia nas relações de trabalho.


>> Informe-se: a informação é a melhor estratégia de defesa contra a prática de assédio moral.

 

Qualquer problema em agências da Baixada Santista devem ser denunciadas direto para os diretores ou anonimamente por meio do fale conosco do site do Sindicato. Outros canais de comunicação são o facebook e o whatsapp do Sindicato dos Bancários.

 

>> Defenda-se de assédio moral, clique aqui e filie-se ao Sindicato!

 

# Santander assedia e humilha gerentes da agência do Centro de São Vicente

 

# Conquistas do Sindicato para os Bancários e Bancárias nos últimos 84 anos

Fonte: Sindicatos dos Bancários do Espírito Santo
Postado por Fabiano Couto em Notícias

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Telegram
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
[Voltar ao topo]
X

Fale Conosco:

Você pode contar sempre, com o Sindicato, para isso estamos deixando, mais um canal de comunicação, com você. Envie informações, denúncias, ou algo que julgar necessário, para a Luta dos Bancários. Ou ligue para: 0800 771 1920

Atenção: Todas as denúncias feitas ao sindicato são mantidas em sigilo. Dos campos abaixo o único que é obrigatório é o email para que possamos entrar em contato com você. Caso, não queira colocar o seu email pessoal, você pode colocar um email fictício.

Aguarde, enviando contato!